TV de Plasma

Esse modelo geralmente é o mais barato e, por isso, é muito mais fácil encontrar TVs de plasma muito grandes. O custo é menor porque ela não necessita de luz para exibir imagens. Não entendeu? A imagem é exibida devido a células cheias de gases nobres que sofrem descarga elétrica e se transformam em plasma, liberando luz. Ao colidir com uma camada de fósforo em sua frente, a tela brilha. Cada ponto da TV é formado por três células cobertas por fósforos de cores diferentes e é a combinação delas que cria a cor necessária.

Vantagens das TVs de Plasma

  • Mesmo TVs com mais de 50 polegadas podem ficar mais baratas;
  • Maior contraste nas cores (cores mais vivas);
  • Melhor qualidade de movimento da imagem;
  • Melhor ângulo de visão.

Desvantagens das TVs de Plasma

  • Brilho é menor;
  • Pode refletir sombras de janelas e corredores;
  • Com alguns anos de uso, alguns modelos podem apresentar manchas na tela com mais facilidade.

TV de LCD

Semelhante à TV de plasma, os televisores de LCD são formados por células agrupadas em grupos de três: cada uma correspondente a uma cor (verde, azul ou vermelho). A diferença está no material: ao invés de um gás nobre, as células estão cheias de cristal líquido, que transmite imagem ao receber descarga elétrica. Porém, para que a imagem seja visível, existe uma lâmpada de luz branca atrás de tudo isso, para fazer a projeção.

Vantagens das TVs de LCD

  • Mais brilho, sendo ideal para ambientes mais claros;
  • Sombras e reflexos de janelas raramente têm efeito na tela da TV.

Desvantagens das TVs de LCD

  • Menor contraste nas imagens;
  • Dificilmente são encontradas em tamanhos maiores.

TV de LED

Esse modelo guardou o que tem de melhor nos modelos de TV já criados e o resultado foi incrível! Também utiliza cristal líquido, com as de LCD, porém as cores são definidas por LEDs (novamente com as cores primárias). Com isso, não é necessário haver uma lâmpada por trás de todo esse sistema para projeção da imagem (como as de plasma), o que permite que as TVs sejam cada vez mais finas!

Vantagens das TVs de LED

  • Mais brilho;
  • Melhor qualidade de movimento (dica: quanto maior a frequência, em Hz, melhor essa qualidade!);
  • Mais contraste;
  • Mais finas (algumas chegam a ter apenas 3cm de espessura!);
  • São eco-friendly (o seu descarte não apresenta riscos ao meio ambiente);
  • Economia de energia (até 40%).

Desvantagens das TVs de LED

  • Um único ponto fraco: o preço é mais alto.

Como Cuidar Bem Da Sua TV

  • Leia o manual de instruções e as recomendações do fabricante para o produto.tv
  • Telas de TV convencionais podem ser limpas com um pano embebido em álcool.
  • Aparelhos de plasma e LCD requerem limpeza com uma flanela seca, para remover a poeira. Se a sujeira estiver grudada há  muito tempo, passe um pano úmido com um pouquinho de sabão neutro.
  • Água e eletricidade não  combinam. Portanto, ao limpar o aparelho, desligue-o da tomada
  • Assim como qualquer outro equipamento eletrônico , a televisão também não pode ficar exposta diretamente ao sol. Por isso, antes de instalá-la, procure um local protegido raios solares.

Formato e Tamanho da Tela:

O mais importante aqui é verificar o tamanho do seu quarto ou sala. Basta ver aonde ela será colocada, e de onde você irá assistir. Siga a regra:

Tamanho da Tela Distância Mínima Distância Máxima *
26 100 cm 200 cm
30 115 cm 230 cm
34 130 cm 260 cm
42 160 cm 320 cm
47 180 cm 360 cm
50 195 cm 380 cm
55 210 cm 390 cm
60 230 cm 455 cm
65 250 cm 480 cm

Básico: Existem dois formatos de tela:

4:3  É aquela TV quadrada que você conhece desde que nasceu. É o formato antigo de televisão, formato utilizado pelas transmissões de TV analógicas

16:9  É o formato novo de TV Aquele que parece um retângulo deitado. É o formato das novas transmissões digitais, e é o novo padrão de mercado. Parece a tela dos cinema

 DICAS  DE ECONOMIA DE ENERGIA


Iluminação

A iluminação de sua residência é responsável por cerca de 20% do total de sua conta de energia elétrica. Veja que medidas adotar para economizar energia elétrica na iluminação de sua casa:

Dê preferência a lâmpadas fluorescentes compactas ou circulares para a cozinha, área de serviço, garagem, e qualquer outro local que fique com as luzes acesas mais de 4 horas por dia. Além de consumir menos energia (uma lâmpada fluorescente de 15W ilumina o mesmo que uma incandescente de 60W), elas duram até 08 vezes mais.
Evite acender lâmpadas durante o dia. Use melhor a luz do sol, abrindo bem as janelas, cortinas e persianas.
Apague as lâmpadas dos ambientes desocupados.
Use iluminação dirigida (spots) para leitura, trabalhos manuais etc, para ter mais conforto e economia.
Pinte o teto e as paredes internas com cores claras, que refletem melhor a luz, diminuindo a necessidade de iluminação artificial.
Use os lustres ou globos transparentes e mantenha-os limpos.
Mantenha acesa a iluminação externa somente pelo tempo necessário.
Utilize somente lâmpadas de tensão (volts) compatível com a tensão da rede da concessionária. Lâmpadas de tensão menor que a da rede duram menos e queimam com mais facilidade. A tensão das lâmpadas incandescentes vem impressa no seu bulbo.
Por exemplo: lâmpadas de 220V alimentadas em 227V reduzem sua vida útil à metade.
Existem lâmpadas fluorescentes compactas e circulares em cores "quentes", como a das incandescentes, e em cores "frias", como a das fluorescentes comuns utilizadas em escritórios.
Não utilize as lâmpadas fluorescentes compactas e circulares com minuteria porque o acende e apaga vai fazer com que sua vida útil seja prejudicada.
Para obter melhor distribuição de luz, prefira empregar as lâmpadas fluorescentes compactas em luminárias desenhadas especialmente para elas e que aproveitem melhor sua geometria.


Televisor

O televisor é um eletrodoméstico muito utilizado, em média de 4 a 5 horas por dia, em cada casa. Tem uma potência de 70 a 200 Watts, atingindo até mais, nos modelos mais antigos. Consome mensalmente entre 10 a 30 kWh, sendo responsável por cerca de 5 a 15% do consumo total de uma residência.

Desligue o aparelho quando ninguém estiver prestando atenção.
Evite dormir com a televisão ligada. Se ela tiver recursos de programação, use o timer.
Escolher o televisor de menor potência ao adquirir um novo.
Lembre-se: televisores modernos consomem bem menos energia elétrica do que os antigos.


Dicas gerais

Dimensione corretamente as instalações elétricas; a economia em fios pode representar riscos e aumento das perdas, o que também aumenta o consumo.
Suas instalações elétricas devem ser mantidas em bom estado; fios com isolamento perfeito e emendas bem feitas, interruptores funcionando corretamente, etc. Faça manutenção periódica nas instalações.
Providencie instalações adequadas para aparelhos como ar condicionado, ferro elétrico, etc. Quando ampliar suas instalações (mais uma tomada, mais uma lâmpada, etc) procure sempre a orientação de um eletricista.
Procure usar apenas um aparelho por tomada, e nunca desligue um aparelho elétrico puxando pelo fio.
Fios, tomadas e interruptores aquecidos são sinais de perda de energia; verifique se não há muita carga ligada no circuito. Seus aparelhos elétricos devem ser mantidos em bom funcionamento, e seus "plugs" devem estar sempre em boas condições.
Não permita que as crianças brinquem com aparelhos, ou mesmo elevadores, utilizando desnecessariamente


Instalações Elétricas (Fugas de Potência)

Uma causa muito comum de aumento na conta de energia elétrica é a "fuga" de energia elétrica. Como nos vazamentos de água (cano furado, goteira, etc.), a "fuga" de energia ou corrente elétrica é também registrada pelo medidor, e você acaba pagando uma energia que não utilizou. As principais causas de "fuga" são: emendas de condutores mal feitas, condutores desencapados, mal dimensionados, ou com isolação desgastada pelo tempo. Pode ser provocada, ainda, por eletrodomésticos defeituosos.
Para localizar esse defeito, basta proceder do seguinte modo:

Instalação elétrica:

Desligue todos os aparelhos das tomadas e apague as luzes.
Verifique se o disco do medidor continua girando. Caso continue, existe a "fuga de corrente".
Para identificar a origem da "fuga", desligue a chave geral.
Se o disco do medidor parar de girar, então o defeito é na instalação elétrica. Neste caso, consulte um eletricista de confiança.
Caso o disco do medidor continue girando, o defeito pode ser no medidor. Consulte, então, o Teleatendimento da sua concessionária de energia elétrica.

Nos eletrodomésticos:

Ligue novamente a chave geral, mantenha todos os aparelhos desligados e luzes apagadas.
Ligue um aparelho por vez na tomada, sem fazê-los funcionar - exceto, claro, os equipamentos automáticos que se ligam sozinhos e, portanto, vão consumir energia durante esse teste (geladeira, por exemplo).
Se o disco do medidor começar a girar, o eletrodoméstico em teste ou a tomada estão com algum defeito (repita o teste com os outros aparelhos; se o disco continuar a girar, o defeito é na tomada).


Horário de Ponta

No sistema elétrico, o período de três horas consecutivas compreendido entre 17 e 21 horas, nos dias úteis, é denominado horário de ponta.
É nesse período que aumenta o consumo de eletricidade, pois além de as luzes do escritório continuarem ligadas, as indústrias, os hospitais e o comércio continuarem funcionando, é o horário em que as luzes das casas e das ruas se acendem, em que as pessoas tomam banho e ligam a televisão.
Sempre que ocorre aumento do consumo, as concessionárias são obrigadas a ampliar o sistema elétrico, construindo novas usinas, linhas de transmissão, subestações e redes de distribuição, para que você e todos os consumidores continuem a desfrutar o conforto e a segurança oferecidos pela eletricidade;
Se no horário de ponta você puder evitar o uso de determinados aparelhos, como ferro elétrico, máquina de lavar roupa, secadora, etc., que podem ser utilizados em outro período do dia, estará contribuindo para que se reduzam os investimentos no sistema elétrico.



Condicionador de Ar

Os aparelhos energeticamente eficientes vão fazer uma boa diferença na sua conta de luz, principalmente no verão, quando o ar condicionado chega a representar um terço do consumo de energia da casa.

Procure os modelos que tenham o Selo Procel de Economia de Energia.
Evite o frio excessivo regulando o termostato adequadamente.
Instale o aparelho em local com boa circulação de ar.
Mantenha portas e janelas bem fechadas, para evitar a entrada de ar do ambiente externo.
Limpe periodicamente os filtros. Filtros sujos impedem a circulação livre do ar e forçam o aparelho a trabalhar mais.
Proteja a parte externa do aparelho da incidência do sol, sem bloquear as grades de ventilação.
Habitue-se a desligar o condicionador de ar sempre que você tiver de se ausentar do ambiente por tempo prolongado.
Evite o calor do sol no ambiente, fechando cortinas e persianas. Não tape a saída de ar do aparelho.
Ao comprar, dê preferência aos modelos que possuírem recursos de programação, como o timer.


Chuveiro Elétrico / Boiler

Estes aparelhos são grandes consumidores de energia. Especificamente no caso do chuveiro, embora permaneça pouco tempo ligado, a demanda de potência da rede elétrica pode chegar a 8000 W ou mais.

Chuveiro Elétrico


O ideal é evitar o seu uso nos horários de maior consumo de energia (18 às 21 h).
Nos dias quentes, utilize o chuveiro com a chave na posição "Verão". 0 consumo na posição "Inverno" é 30 a 40% maior;
Limite seu tempo debaixo da água quente ao mínimo indispensável;
Procure limpar periodicamente os orifícios de saída de água do chuveiro, pois, se não estiverem limpos, você terá menos água quando utilizá-lo, obrigando-o a mantê-lo ligado por mais tempo;
Não tente aproveitar uma resistência queimada, pois isto acarretará aumento de consumo.
Feche a torneira quando se ensaboar.

Boiler


Dê preferência a modelos de boiler com melhor isolamento do tanque e com dispositivo de controle da temperatura.
Nunca ligue o aquecedor à rede elétrica sem ter certeza de que ele está cheio d'água. Para isso, verifique se sai água das torneiras de água quente.
Cuidado com o vazamento de água quente. Uma torneira pingando 90 gotas por minuto representa uma perda de mais de mil litros de água por mês e um aumento desnecessário em sua conta de luz;
Instale o aquecedor central no local mais próximo dos pontos onde você irá utilizar a água quente, sempre aplicando isolamento térmico em todas as canalizações, para a conservação de temperatura;
Em caso de viagem, desligue-o;
Antes de adquirir um aquecedor central elétrico, certifique-se de que a sua capacidade corresponda realmente às necessidades e ao tamanho de sua família. Consulte o fabricante.
A torneira elétrica é um conforto que consome muita energia. Acostume-se a usá-la só em casos de necessidade, quando a água estiver muito fria.


Ferro de Passar Roupas

O ferro elétrico consome cerca de 5% da energia gasta em sua casa. É um equipamento que funciona através do aquecimento de uma resistência. Conforme o modelo, sua potência varia de 500 a 1.500 W e ele é responsável por um consumo entre 10 a 15 kWh.

Nunca esqueça o ferro elétrico ligado, pois, além de desperdiçar energia elétrica, você corre o risco de provocar graves acidentes.
Evite ligar o ferro elétrico nos horários em que muitos outros aparelhos estejam ligados. Ele sobrecarrega a rede elétrica.
Habitue-se a juntar a maior quantidade possível de roupas e passá-las todas de uma só vez. O aquecimento de seu ferro elétrico várias vezes ao dia provoca um desperdício muito grande de energia elétrica.
Regule a temperatura, no caso dos ferros automáticos. Passe primeiro as roupas delicadas, que precisam de menos calor. No final, depois de desligar o ferro, aproveite ainda o seu calor para passar algumas roupas leves.


Refrigerador / Freezer

A geladeira é o eletrodoméstico responsável pelo maior consumo dentro de uma residência; cerca de 30%, porque funciona 24 horas por dia, todos os dias. Dependendo dos modelos, elas apresentam potências variadas entre 150 e 400W.

Instale o aparelho em local bem ventilado. Evite a proximidade do fogão, de aquecedores, ou áreas expostas ao sol.
Deixe um espaço mínimo de 15 cm dos lados, acima e no fundo do aparelho, no caso de instalação entre armários e paredes.
Não abra a porta sem necessidade ou por tempo prolongado.
Arrume os alimentos de forma a perder menos tempo para encontrá-los, e deixe espaços entre eles.
Não guarde alimentos e líquidos ainda quentes.
Não guarde líquidos em recipientes sem tampa.
Não forre as prateleiras da geladeira com vidros ou plásticos, pois isto dificulta a circulação interna do ar.
Faça o degelo periodicamente, conforme as instruções do manual, para evitar que se forme camada de gelo com mais de meio centímetro de espessura.
No inverno, as temperaturas ambientes mais baixas permitem reajustar o termostato para manter o mesmo nível de temperatura interna, com menor consumo.
Conserve limpas as serpentinas do condensador que se encontram na parte de trás ou na parte inferior da geladeira, limpe-as com um pano e retire a poeira com um aspirador de pó pelo menos uma vez por ano.
Quando se ausentar de casa por tempo prolongado, esvazie a geladeira e/ou freezer e desligue-os da tomada.
Faça o teste de vedação das portas. Problemas na vedação aumentam o consumo de energia. Verifique da seguinte maneira:
Coloque uma folha de papel entre a borracha da porta e o corpo do aparelho e feche a porta sobre ela. Tente retirar a folha. Se ela deslizar e sair facilmente, é sinal de que a vedação não está boa. Nesse caso, providencie a substituição da borracha e/ou o ajuste das dobradiças.
OBS: Faça o teste em toda a volta da porta.
Procure os modelos que tenham o Selo Procel de Economia de Energia.
Não utilize a parte traseira do refrigerador para secar panos e roupas.
Ao escolher um novo aparelho, leve em conta também as informações da etiqueta INMETRO que indica o consumo médio mensal do refrigerador ou do freezer.
Escolha a geladeira com a capacidade adequada para as necessidades de sua família.


Como calcular o custo mensal de um equipamento em meu orçamento doméstico?

Antes de mais nada, é preciso conhecer a potência do equipamento. Procure saber se esta informação consta no aparelho. Assim sendo, proceda o cálculo da seguinte forma:

Custo(R$) = (Potência(Watts)/1000) x( Horas Utilizadas / mês) x (Tarifa(R$/kWh))

A tarifa de energia elétrica pode ser conseguida em sua conta de luz, ou junto ao atendimento ao consumidor de sua concessionária local.